5 de abr de 2011

A Águia da Via Láctea !



AUTOR: FRANCOORP.
TIPO: TEXTO.
PASTA: Universo e Espaço. (Acima nos Cabeçalhos)

Como todos sabemos as nebulosas são pontos de reunião de gases e poeira cósmica, trazidas por ventos solares, explosões de super novas, cometas, etc. Esta poeira é composta por todas as matérias do Universo, seja Oxigênio, Hidrogênio, Carbono, Urânio, etc, geradas por planetas, estrelas moribundas, colisões Cósmicas; Onde em sua maioria encontra-se em forma de Gás e Pó, de pequenas dimensões, como grãos de areia, ou até mesmo em microscópicas partículas
elementares, ligando-se entre si por força da Gravidade, onde bastam poucos átomos que se unam para gerar uma molécula capaz de gerar uma força gravitacional e atrair assim outros átomos e moléculas, e depois grãos, e pedras, e caminhando assim até formar estrelas gigantescas, Planetas e inteiros sistemas solares !!

Hoje falaremos de uma pequena Nebulosa da nossa Galáxia, que está a 7000 Anos-Luz( 1 ANO/LUZ é a Distância que a luz percorre durante um ano no espaço)ou seja relativamente próxima de nós se considerarmos que a nossa Galáxia, a Via Lactea, possui aproximadamente 100 Mil Anos-Luz.


Então vamos à maravilha do Universo chamada Nebulosa da Águia, Para abrir a imagem abaixo de forma detalhada, já que não consegui posta-la aqui, deve-se abrir o seguinte link: NEBULOSA , Essa Imagem aparecerá peguena no navegador, mas basta colocar o Mouse sobre a imagem e clicar para aumentar as dimensões. Eu aqui posto uma sua versão um pouco menor, de 1000x450, la no link acima terás uma imagem de 3857 X 7804 Px... Enorme e belíssima!!



No dia 25 de Abril de 2005, as 06:00 horas da manhã foram divulgadas ao mundo as imagens espetaculares do telescópio Hubble sobre uma nebulosa, o telescópio foi posicionado em novembro de 2004 em modo a obter uma visão privilegiada da nebulosa da Águia. O Utilizo do Hubble era necessário para ver o que acontece atualmente na Nebulosa, e estão nesta imagem acima representando a inteira nebulosa, mas foi mais facilmente fotografada a parte vermelha na parte baixa da fotografia. Na época o Hubble teve dificuldades em fotografar a nebulosa inteira, as fotos das partes superiores não eram muito boas, problemas de claridade segundo alguns, devido às estrelas que nasciam ao interno da nebulosa, algo que agora (2004) foi possível devido à nova calibragem das óticas, e o resultado nós todos admiramos, Magnífico!!

Veja na imagem abaixo a calibragem das lentes e dos filtros de luz que o Hubble usou em 2004:


As estrelas da Nebulosa da Águia nascem em nuvens de hidrogênio frio que residem nas partes do centro caótico superior, onde a energia de estrelas jovens esculpe paisagens de fantasia e imaginação, mas é tudo verdade, e feito de poeira e gás. A torre pode ser uma incubadora de gigantes estrelas recém-nascidas, pois espaço e material para isso não faltam. Uma torrente de luz ultravioleta de um lado da massa da nebulosa, são vindas das estrelas quentes e jovens (encima da imagem) que estão corroendo o pilar da nebulosa.

A luz estrelar também é responsável por iluminar a superfície áspera da torre. Flâmulas fantasmagóricas podem ser vistas em movimento fora desta superfície mais escura da nebulosa, criando uma neblina em torno da estrutura e realçando sua forma tridimensional. A coluna e a silhueta da nebulosa se realçam contra o brilho de fundo dos gases mais distantes.

ESPETACULAR!!!!

Tudo isso depois que o Hubble conseguiu finalmente realizar o feito de fotografar as partes mais brilhantes da Nebulosa, com as suas novas estrelas... Maravilha!!

Veja abaixo as partes fotografadas em 2004:




Obviamente na edição das imagens de 2004 e 2005 fizeram as coisas se encaixarem muito bem... hehe, a Nasa/ESA possuem ótimos fotógrafos profissionais!

Assim temos esta espetacular imagem completa da Nebulosa da Águia, Surgindo como uma criatura alada dos conto de fadas equilibrada sobre um pedestal(Parte Baixa Piramidal), esse objeto é realmente uma torre com asas semi-abertas de gás frio e poeira subindo de um berçário estelar que chamamos Nebulosa da Águia. A torre que compõem a inteira nebulosa tem a extensão de 9,5 Anos-Luz ou aproximadamente 90 trilhões de quilômetros de altura, cerca do dobro da distância do nosso Sol à estrela mais próxima, Alfa Centauro A+B, que é um sistema Binário possuindo duas estrelas A e B no mesmo sistema solar, mesmo que exista mais uma estrela na zona chamada de Proxima Centauro, a um ano luz de distancia das demais, mas para cálculos vem usada as Alfa Centauro, que estão a 4.3 Anos-Luz do nosso Sol.

A borda da nuvem de hidrogênio escura no topo da torre está resistindo a erosão da formação das estrelas no entorno, mas é claro que está sendo varrida pelo fogo das estrelas. As nuvens de gás hidrogênio e poeira estão sobrevivendo mais do que nos seus arredores, tendo na cara a explosão de luz ultravioleta das jovens estrelas quentes e vizinhas.

Dentro da torre de gases, estrelas podem estar se formando. Algumas dessas estrelas podem estar sendo criadas pelo colapso do gás denso sob a força da gravidade. Outras estrelas podem estar se formando devido à pressão do gás que foi aquecido pelo calor das estrelas vizinhas.


A primeira onda de estrelas pode ter começado a se formar antes do aglomerado de estrelas maciças começarem a irradiar sua luz ardente. O nascimento da estrela pode ter começado quando as regiões mais densas do gás frio dentro da torre começaram a entrar em colapso sob seu próprio peso de aglomeração de gases e partículas para fazer as estrelas.

As colisões e os pilares de material no centro da torre, são exemplos dessas áreas de nascimento estelar. Estas regiões podem parecer pequenas, mas eles são quase das dimensões do nosso sistema solar, com o Novo Planeta Sedna incluso!! As jovens estrelas continuam a crescer pois elas se alimentam da nuvem de gás circundante. Elas param de crescer abruptamente quando a luz quente e o vento solar do aglomerado de estrelas romper o cordão umbilical de material, separando-as do seu fornecimento de gás.

Ironicamente, a intensa luz estrelar do jovem aglomerado pode estar induzindo à formação de estrelas em algumas regiões da torre. Exemplos podem ser vistos nos grandes aglomerados brilhantes e saliências em forma de pilar na parte superior da estrutura. As estrelas podem estar fazendo o aquecimento dos gases no topo da torre e criando uma frente de choque, como se vê pela borda brilhante de material traçado da borda de cima da nebulosa, à esquerda. Como o gás aquecido se expande, ele age como um aríete, empurrando o gás frio mais escuro. A intensa pressão comprime o gás, tornando mais fácil para as estrelas se formarem. Este cenário pode continuar como na frente de choque que se move lentamente para baixo da torre.



Vale lembrar aos amigos que os pontos luminosos pequenos também são estrelas, pois emitem sua própria luz. Certo que olhando assim a claridade das estrelas gigantes e brilhantes, elas parecem somente mais um punhado de pontinhos de luz insignificante...

As cores dominantes na imagem foram produzidas pelos gases energizados pela potente luz ultravioleta do aglomerado de estrelas. A cor azul no topo é a parte do oxigênio brilhando. Os dois pontos vermelhos na região mais baixa é a parte de hidrogênio incandescente. A imagem da Nebulosa da Águia foi tirada em novembro de 2004, e em abril de 2005 foram divulgadas. Tudo realizado com a Advanced Câmera for Surveys, a bordo do NASA / ESA Hubble Space Telescope.

Uma Ultima imagem da Nebulosa da Aguia para o deleite dos senhores amantes do Universo:




Bem, espero que tenham gostado desta postagem... Valeu!!
.
.
.
.
FRANCOORP

.
.
.

2 comentários:

  1. Adorei essa postagem...vejo seu blog a meses mas com post voce merece um parabéns e com os outros tbm.
    O Discovery ta desvalorizando mais essas coisas de UNIVERSO e tal ( na minha opinião)
    Ma ainda bem que o resto naum.
    PARABENS

    ResponderExcluir
  2. Valeu Alexandre, e realmente o nível da Discovery está caindo muito, assim como o da History Channel também, temos a super valorização dos "Reality" como Trato Feito, Caçadores de Relíquias, Casal Selvagem, etc... são até interessantes, mas as descobertas científicas e as analises estão ficando pra trás.

    Muito Obrigado pelo comentário positivo e fique ligado, em breve vou postar aqui uma inteira série de postagens sobre os Planetas Extra-Solares descobertos recentemente, siga o Blog ou nós acompanhe se quiser nas redes sociais.

    Valeu!!

    ResponderExcluir